Economia
19
.
07
.
2023

Emissão de CO2 como índice econômico

Alberto Berga Monge
Diretor da AMB Consulting
O bem-estar médio dos países da OCDE teria diminuído quase 2% nos últimos dez anos devido aos danos do dióxido de carbono, diz estudo BBVA Research.

O bem-estar médio dos países da OCDE teria diminuído quase 2% nos últimos dez anos se os danos causados ​​pelas emissões de dióxido de carbono tivessem sido internalizados, mas haveria um benefício líquido em evitar os piores cenários futuros de aquecimento global.

É verdade que existe incerteza nos cálculos. Tudo isso pode ser deduzido do estudo BBVA Research que é referenciado na parte inferior da página e cujas principais conclusões são indicadas.

O PIB per capita é um indicador que pode estar incompleto. Os danos gerados pelas emissões de CO2, até agora necessárias para atingir altos níveis de consumo, torna razoável incorporar seu custo na medida de bem-estar.

O conceito de bem-estar monetário de Jones e Klenow é expandido ao incorporar o consumo per capita líquido dos danos causados ​​pelas emissões de CO2. A calibração do preço do carbono que compensa esses danos, o custo social do carbono, é baseada na proposta de Golosov, que propõe um preço ótimo proporcional ao PIB, dependente, entre outros fatores, da taxa de desconto social.

Internalizar o custo social do carbono emitido reduzirá o bem-estar do país médio da OCDE em aproximadamente 2% na última década, embora com diferenças significativas entre eles. Essa correção aumentaria em 0,6 ponto percentual caso fossem consideradas as emissões consumidas ao invés das produzidas, já que a maioria dos países desenvolvidos são importadores líquidos de carbono dos países emergentes.

A diferença do PIB per capita da Espanha em relação aos EUA é reduzida pela metade quando considerada a medida ampliada de bem-estar social. O bem-estar social médio da economia espanhola no período 2010-2019 foi de 81% do dos EUA. A Espanha, destacando-se pela maior esperança de vida e tempo de lazer, regista, no entanto, um consumo per capita inferior (54%) a muitos países da OCDE e uma distribuição mais desigual do mesmo.

Ao incorporar as emissões de CO2 no cálculo, o bem-estar social na Espanha é reduzido em 1,5 pontos percentuais para 80% dos 98,6% dos EUA para oito economias europeias.

Fonte: BBVA Research - Bienestar y Coste Social del Carbono

Imagem: geralt