13
.
05
.
2024
18
.
05
.
2024

Alimentação: Avanços e Controvérsias — Edição 2024

Nesta 5.ª edição do ciclo de reflexões e debates “Avanços e controvérsias“ vamos abordar a questão da simples molécula de H2O, tão importante para a existência de todos os seres vivos e a manutenção das condições mínimas de sobrevida na Terra.

Água é vida na planeta Terra. Sem a junção de dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio (H2O) não há vida; não há planta, não há animais, não há ser humano, não há beleza...

A presença da água nas nossas vidas é prodigiosa, embora pela sua naturalidade a sua existência nos pareça óbvia, rotineira e indiscutível. Começando por chamar o nosso planeta de terra, quando superficialmente e volumetricamente o seu principal componente é a água. É um elemento presente no planeta desde que o mundo era mundo. Acompanhou-nos espontaneamente desde a criação, mas a sua simplicidade H2O é um tesouro da química.

A Carta Europeia da Água, emitida em 1968, define a água como um “elemento de primeira necessidade”, que constitui “dois terços do peso do ser humano e atinge até nove décimos do peso das plantas”.

A água é um produto que não depende nem provém da intervenção humana. E não controlamos a sua energia, embora façamos todo o possível para torná-la o mais útil, saudável e cómoda possível. É novidade quando é abundante e quando é escasso, tem muito a ver com o futuro do clima e está nas nuvens, em estado gasoso; nos cumes e pólos, com aspecto sólido e nos oceanos, mares, rios, lagos ou torrentes no seu estado líquido e mais frequente. No subsolo também, fluindo de nascentes e em poços ou sondados, acumulavam-se e manipulavam-se reservas de água

A presença da água no nosso corpo é vital, é indispensável e decisiva a sua participação na produção de alimentos – tanto industriais como artesanais, elemento crítico na actividade culinária comprometida com a higiene e a nutrição, cuja plenitude é garantida experimentando usar água suficiente e propícia.

Nem todas as águas são iguais, mas apresentam sutis qualidades sápidas relacionadas às substâncias minerais que transportam, embora o seu lema “incolor, inodoro e insípido” nos remeta à sua essência infantil.

As autoridades sanitárias, garantindo a saúde pública, são obrigadas a purificar e tratar a água com produtos químicos, como o cloro, com maior ou menor frequência e intensidade, conforme exigido pelos baixos níveis da água e outras causas. Muitas vezes, além da dureza ou fraqueza da água da torneira, sabores estranhos modificam inevitavelmente o sabor dos ensopados.

Nesta 5.ª edição do ciclo de reflexões e debates “Avanços e controvérsias“ vamos abordar a questão da simples molécula de H2O, tão importante para a existência de todos os seres vivos e a manutenção das condições mínimas de sobrevida na Terra.

Que valor atribuímos a água nas nossas vidas, no nosso dia a dia, no nosso trabalho e na existência humana?

Cenário do Curso

Água é vida na planeta Terra. Sem a junção de dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio (H2O) não há vida; não há planta, não há animais, não há ser humano, não há beleza...

A presença da água nas nossas vidas é prodigiosa, embora pela sua naturalidade a sua existência nos pareça óbvia, rotineira e indiscutível. Começando por chamar o nosso planeta de terra, quando superficialmente e volumetricamente o seu principal componente é a água. É um elemento presente no planeta desde que o mundo era mundo. Acompanhou-nos espontaneamente desde a criação, mas a sua simplicidade H2O é um tesouro da química.

A Carta Europeia da Água, emitida em 1968, define a água como um “elemento de primeira necessidade”, que constitui “dois terços do peso do ser humano e atinge até nove décimos do peso das plantas”.

A água é um produto que não depende nem provém da intervenção humana. E não controlamos a sua energia, embora façamos todo o possível para torná-la o mais útil, saudável e cómoda possível. É novidade quando é abundante e quando é escasso, tem muito a ver com o futuro do clima e está nas nuvens, em estado gasoso; nos cumes e pólos, com aspecto sólido e nos oceanos, mares, rios, lagos ou torrentes no seu estado líquido e mais frequente. No subsolo também, fluindo de nascentes e em poços ou sondados, acumulavam-se e manipulavam-se reservas de água

A presença da água no nosso corpo é vital, é indispensável e decisiva a sua participação na produção de alimentos – tanto industriais como artesanais, elemento crítico na actividade culinária comprometida com a higiene e a nutrição, cuja plenitude é garantida experimentando usar água suficiente e propícia.

Nem todas as águas são iguais, mas apresentam sutis qualidades sápidas relacionadas às substâncias minerais que transportam, embora o seu lema “incolor, inodoro e insípido” nos remeta à sua essência infantil.

As autoridades sanitárias, garantindo a saúde pública, são obrigadas a purificar e tratar a água com produtos químicos, como o cloro, com maior ou menor frequência e intensidade, conforme exigido pelos baixos níveis da água e outras causas. Muitas vezes, além da dureza ou fraqueza da água da torneira, sabores estranhos modificam inevitavelmente o sabor dos ensopados.

Nesta 5.ª edição do ciclo de reflexões e debates “Avanços e controvérsias“ vamos abordar a questão da simples molécula de H2O, tão importante para a existência de todos os seres vivos e a manutenção das condições mínimas de sobrevida na Terra.

Que valor atribuímos a água nas nossas vidas, no nosso dia a dia, no nosso trabalho e na existência humana?

Programa e Conteúdo

13/05 — Água, planeta Terra (água e filosofia)

  • Origem de tudo
  • Significados da água
  • Água e vida, água na nossa vida
  • Antropoceno e a água

14/05 — Água e corpo

  • Vida e vitalidade
  • Saúde e doença

15/05 — Água e alimento(s)

  • Uso, riscos, perigos e cuidados com a água no setor primário
  • Uso, riscos, perigos e cuidados com a água na transformação/produção de alimentos
  • Uso, riscos, perigos e cuidados com a água na distribuição e consumo de alimentos

16/05 — Água e comida

17/05 — Água direito universal

  • Ética
  • Política
  • Água enquanto capital

18/05 — Debate: “Água, um combate que deve ir além da gestão de qualidade e assegurar o acesso para todos e o equilíbrio da natureza”

Direção e Coordenação

Direção

Juliana Grazini dos Santos
Diretora da Verakis

Coordenação

Paula Feliciano
Professora SENAC. Mestre em Culturas e Identidades Brasileiras pelo IEB/USP,
Maria Cláudia Soares Carvalho
Nutricionista - Coordenadora do LADIG’E/UFRJ
Caroline Rosanelli
Nutricionista. Professora de Pós-graduação em Bioética da PUC Paraná

Corpo Docente

Caroline Rosanelli
Nutricionista. Professora de Pós-graduação em Bioética da PUC Paraná
Juliana Grazini dos Santos
Diretora da Verakis
Maria Cláudia Soares Carvalho
Nutricionista - Coordenadora do LADIG’E/UFRJ
Paula Feliciano
Professora SENAC. Mestre em Culturas e Identidades Brasileiras pelo IEB/USP,